Gatos

Nunca fui muito fã de animais. Cresci numa casa espaçosa, com quintalzinho e cachorro, já que meus pais são apaixonados pelos bichos, mas eu nunca tive nenhuma paixão avassaladora por eles. Eles estavam lá, na deles; eu cá, na minha. Era uma relação cordial, mas sem carinhos exacerbados ou preocupação desenfreada. Sempre preferi os peixinhos no aquário, sem barulho e enfeitando o ambiente. Se eu não tivesse que ter o trabalho de limpar o aquário, era provável que eu até tivesse um hoje em dia na minha casa.

Morando sozinho, meio dado à minha solidão e melancolia, eventualmente ouvia a pergunta: “mas por quê você não arruma um bichinho?”. Simples: para mim, os melhores animais são os de pelúcia – silenciosos, inodoros e estáticos. Não que eu seja um sem coração que agrida os bichinhos, mas sempre preferi manter uma distância razoável de qualquer tipo de animal. Zoológico, por exemplo, nunca foi sinal de diversão para esse que vos escreve. Ver uma porção de bichos exóticos num mesmo lugar, pra quê?

Mas eis que o destino prega peças na vida da gente. E, para terem uma idéia, escrevo esse texto com um gato encostado em mim, querendo um pouco de carinho na cabeça. Pois sim, o namorado é apaixonado por gatos. Mais que isso, tem dois na sua casa, que são tratados como filhos, com todo o carinho que o namorado consegue dar aos dois. E eu, de quebra, aprendi a conviver com eles.

Confesso que torci o nariz na primeira vez que ele me falou deles. Pensei: “Putz, mas gatos?”. Mas quebrei a cara, pois hoje me vejo até que gostando dos bichinhos. Tudo bem, não morro de amores, não me penso de luto se por acaso morressem, mas também não os abomino nem mantenho distância. Estar com eles sobre mim é quase comum e, digo mais, agradável.

O interessante é que os bichanos tem temperamentos diferentes. Um – Wolfgang – é mais carinhoso, carente, adora se esfregar na gente e cobra atenção; é o meu preferido. O outro – Philip -, é arisco, passeia pela casa como se fosse seu proprietário, se aproxima unicamente quando quer ser mimado e mantém-se altivo, com postura de rei do pedaço; é o preferido (e primogênito) do namorado.

Esperto que sou, nunca entraria numa disputa com os dois, por exemplo, pedindo ao namorado que escolhesse entre nós. Eu perderia bonito, com grande vantagem pros bichinhos. Mas, essa nunca foi minha intenção e aprecio a forma como meu namorado se relaciona com eles. É um carinho tão puro e desinteressado que dá gosto de ver. E ele recebe tudo isso de volta, mesmo sabendo que os donos da casa são eles e que temos de nos considerar satisfeitos por nos permitirem estar em seu reino.

Além do quê, é possível não amar seres dotados de um super-poder? Porque sim, aprendi com meu namorado: gatos emitem partículas de preguiça e, se estamos num mesmo ambiente que eles, como por exemplo, jogados na cama, é impossível acordar facilmente, já que essas partículas agem sobre os humanos de forma cruel e determinante. Eu, preguiçoso que sou, nem tento lutar contra isso e fico lá, deitado, largado, apreciando os braços de Morpheu, induzido pelos bichanos.

No geral, relacionamento é isso: descobrir que até mesmo suas certezas mais categóricas (“nunca gostarei de um gato!”) podem ser desmistificadas e modificadas. E agora, acariciando um lindo gatinho preto posso garantir que até é bem legal ser surpreendido e se deixar levar por uma simpatia por animais que lhe era desconhecida. Afinal, até o mais gelado dos corações pode ser surpreendido e se ver derretido por um bichinho.

OBS: Na foto que abre o post, da esquerda para a direita, eles, os donos da casa: Philip e Wolfgang. São eles que mandam. Alguém duvida?

Se num novelo fica enroscado
Ouriça o pelo, mal humorado
Um preguiçoso é o que ele é
E gosta muito de cafuné…
O Gato (Marina Lima)

Anúncios

11 Responses to Gatos

  1. Giselle disse:

    Ownnn (F)
    Gatos são fofos, são lindos e são filhos.

  2. in.Constante disse:

    Não teria um gato, prefiro cachorros. Mas não resisto a fazer cqrinho num bichano. Lá em casa já tivemos dois… Eu gostava mais de um, que era lesado, estabanado, vesgo e liiiiiindo! xD

    Sobre essas partículas de preguiça, adorei a criatividade do seu namorado pra justificar a dele… Isso quase me convence a comprar um gato pra mim hahaha.

    E sobre o Wolfgang… Referência ao Mozart? Goethe? Van Halen? Nenhuma das alternativas anteriores?

    Xêrinho!!!

    • Alexandre disse:

      Mozart! Mas é inspiração livre, ele não tem aptidões musicais.

      • in.Constante disse:

        Ah, pena que eh o Mozart… Achei que era uma vibe mais “gaiola das cabeçudas”: é o Goethe, é o Goethe, é o Goethe…. hahahaha

        Xêrinho pros dois… Autor e namorado, não Wolfgang e Philip 😉 😛

  3. leo disse:

    Tenho uma gata, Mia, homenagem à personagem de O diário da Princesa, e é incrível como que ela emana paz, sempre onde ela está é como se houvesse essa camada que emite ondas de harmonia.
    E, como você disse, não me via gostando de um gato (sou uma pessoa que gosta de animais, porém havia certa distância de gatos na minha lista de preferidos) até que me apaixonei pelo gato da minha tia, que me cativou. Duas semanas depois estava eu com o meu primeiro gato, que já se foi, infelizmente morto pela vizinha… Mais esse é o barato da coisa, temos idéias tão fixas dentro de nós, que a grosso modo parece praticamente impossível modificar essas opniões já estabelecidas, até que coisas tão minímas conseguem nos mostrar um lado completamente diferente nosso.
    beijo ^^

  4. não gosto de gatos, nem de cachorros.

    eu não sou muito animal, não.

    mas digamos que eu me divirto no zoológico.
    no zoológico.

  5. Foxx disse:

    nunca peça para alguém que goste de animais pra escolher entre vc e eles, vc sempre vai sair perdendo. essa máxima é extremamente sábia.

  6. S.A.M disse:

    Eu tive apenas gatos e fui muito feliz, mas hoje abandonei os bichanos, quero um cachorro! ^^

    Adorei. Beijo.

  7. Lis disse:

    Ebaaaaaaaaaaaaaa
    Quantas novidades !!! Estava bem sumida do mundo virtual e como sempre minha primeira parada nas visitas aos blogs é o seu q eu amo de montão!! E logo de cara me deparo com este texto maravilhoso!! Eu amo bichos, muito, muito msm tanto q trabalho com eles no dia a dia.Então, é muito bom ver q eles estão te conquistando, quem sabe daqui uns dias vou ler um texto falando dos seus bichinhos? hahahaha Li seus outros textos e se eu pudesse te daria um abraço bem forte para dizer o qto estou feliz por vc está amando e ter virado a página de vez…A-DO-REI todos os textos, vc escreve melhor qdo está apaixonado!! Bjão no coração!! Ah por acaso o dignissimo se chama Alexandre, como está no coment acima? uahsuhaua

  8. Lobo disse:

    Não sou muito fã de gatos não. Fazem o que querem, bichos ingratos pra caramba. Prefiro um grande cachorro babão pulando em cima de mim quando chego em casa hahaha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: