Inquietações e Resoluções Bipolares

Depois de um longo inverno, estou de volta. Por quanto tempo eu não sei, com qual frequência, menos ainda. Só sei que sempre volto, pois essa minha necessidade de escrever fala mais alto do que a falta de tempo/vontade que às vezes me toma.

Tenho passado por um período de botar a casa em ordem, de ajeitar pensamentos, de organizar a bagunça. Penso e repenso, passo pelas mais estranhas fases e isso me ajuda muito. Pensar faz bem; demais, enlouquece, mas já passei dessa fase tem tempos.

Ando carente e isso é fato, o que me faz imaginar que posso estar me apegando a coisas ‘inapegáveis’ com mais facilidade. Desde o término do meu namoro que efetivamente não me interesso por alguém. Claro, flertes sempre acontecem, joguinhos amorosos (nos quais sou PÉSSIMO) estão aí, mas nada que me desse o frio na barriga, a vontade de realmente investir em algo, de tentar construir uma relação.

É onde me pergunto como cheguei aqui. Fazendo um exercício de retrocesso mental, chego ao ponto em que era noivo e planejava casar e constituir família, até o dia em que me vi apaixonado por um cara e todas as minhas certezas se foram por terra. De lá pra cá, muita coisa mudou; eu principalmente. O Autor de hoje não lembra nem de longe aquele rapazinho de tempos atrás e, sinceramente, não tenho saudade nenhuma daquele tempo. Mas sinto falta de uma certa ingenuidade que perdi no meio do processo de crescimento.

O problema de viver intensamente é a maldita comparação. E eu sempre vou comparar tudo que vivi e, pelo menos no momento, penso que não conseguirei superar alguns ápices que tive até então.

Tô chegando naquela fase em que a demanda tá me cansando e tudo que eu queria era ficar em casa num sábado à noite ao invés de sair pra encher a cara e pegar um milhão. Não que pegar um milhão não me divirta, mas acho que tô é ficando velho mesmo. O problema é que de um milhão, não encontro um que eu ache que vale a pena investir. E quando encontro, as ações e atitudes não deixam o encanto durar mais do que uma semana.

Assim, chego onde estou: estacionado, pensativo, contemplativo. E cansado de tanto pensar.

A resolução de agora? Versão 2010.2: Autor, No Drama!

Até quando? Até que horas?

Porque você sabe, né? Decisões de Bipolar tendem a durar a eternidade de um minuto.

“I could be brown, I could be blue
I could be violet sky
I could be hurtful, I could be purple
I could be anything you like
Gotta be green, gotta be mean
Gotta be everything more
Why don’t you like me? (…)
Why don’t you walk out the door?”

Grace Kelly (Mika)

Anúncios

14 Responses to Inquietações e Resoluções Bipolares

  1. Rafael disse:

    Obrigado plea vista.

    Li seu ultimo post, e acho que vc tá amadurencendo…rs rs rs…não sei qtos anos tem, mas suas percepções são de quem não vê mais o mundo com olhos infantis.

    Abração, volte sempre.

  2. S.A.M disse:

    Então, penso igual.

    Inclusive to dando umTIME pra arrumar a bagunça na casa.

    Beijaoprocariocaquemaisadoro! rs

  3. Rafael disse:

    rs rs rs…28 anos….

    entendi…é a crise dos 30 que ta chegando..mas fique sossegado, todos passamos incolumes, não doi nada…

    volto sempre…mas se vc ficar assiduo nos posts…rs…
    oh eu já folgando.

    abração

  4. Edu disse:

    Que seja eterno enquanto duro, pois!

  5. Serginho disse:

    quando a gente começa a achar que não vale a pena pegar um milhão vem um que vale por um milhão e pega a gente!
    vai vendo que eu sei como é rs
    e enquanto não aparece vai pegando os famosos!
    te adoro
    saudades mil
    quando vem aqui me ver de novo?

    ah! eu mudei, so por sua causa, o sistema de comentários no blog seu moço
    agora você não pode achar mais nada ruim!
    beijos

  6. Rafael disse:

    Sim, sou dessa terra muito bela chamada Campinas…rs, lugar que só tem gente jóia, por isso seu melhor amigo é daqui…rs rs

    Vc pode não acreditar, mas passar dos 30 é muito bom…há alguma ocisa quimica no seu cerebro que te faz enxergar tudo de uma ótica diferente…resumindo, é show.

    o coments virou msn…rs

    abração

  7. Daniel Savio disse:

    Cara, penso que até um dia qualquer, pois quando menos a gente menos espera, o nosso coração volta a viver…

    E normal ficar fechado para balanço por um tempo quando a gente termina.

    Fique com Deus, menino Autor.
    Um abraço.

  8. Gustavo disse:

    Hellouuuuu!!!

    Drama, Drama,Drama!!!

    Drama is the new black hon!

    Que seja, é bom esses momentos e uma coisa que é FATO, viver intensamente tem seus prós e contras, ando passando por certas coisas parecidas com isso.

    Fora que ja ate ouvi na minha cara “O problema é que você fez o caminho inverso, vc começou fazendo tudo que as pessoas querem fazer hoje e você já fez”

    Ai num sou obrigadooooooooo rsrs!!!

    Autor, keep the Drama! Só que não se esqueça, se o drama encher os aco, dá um péna bunda dele rs!

    Bjunda!

  9. Lobo disse:

    A vida é assim mesmo. E essa história que sentir saudade da época da ingenuidade é meio coisa de masoquista… XD. Querer voltar a época que eramos ingênuos é muito querer sofrer de novo, porque se hoje não o somos, temos um bom motivo para tal.

    Pior que a gente nunca acha o The One no meio do milhão. O maldito sempre aparece quando a gente menos espera, totalmente fora do contexto…

    Abraços Autor!

  10. Luan disse:

    nossa…

    sentir nostalgia pelo que ainda nao aconteceu é meu nome.

    mas vez ou outra me pego ansiando por dias mais parecidos com os que não vao voltar.

    mas that’s life, right?

    bjao.

  11. Rafa disse:

    Caraca a TW vai fechar.. rsrs Brincadeiras à parte, esta coisa afetiva é muito complicada mesmo… boa aarumação, aí. Bj

  12. Mauri disse:

    Amigo… lembra a história de cultivar o jardim? Acho que a idéia é essa.

    Bjo!

  13. Complicado né? E quanto mais pensamos mais nos vemos afundados em pensamentos e promessas. Abraços.

    Verônica Elias

    Desarranjo Sintético

  14. Lua Nova disse:

    Estou seguindo seu blog e começando a conhecer seus posts e acho que consigo enternder perfeitamente as coisas que vc diz. Mérito seu… vc escreve muito bem. Reconheço sua sensibilidade bipolar e levemente angustiada, mas agradável e delicadamente realista.
    Pelo menos os que li até agora. Também sou bipolar e fiz um blog há pouco tempo. Espero conseguir me expressar e “respirar” através dele quando nada mais funcionar…
    Beijos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: