Sobre a Nossa Finitude

luto“É tão estranho
Os bons morrem jovens
Assim parece ser
Quando eu me lembro de você
Que acabou indo embora
Cedo demais…”
Love in the Afternoon
(Legião Urbana)

Meu avô faleceu na última quarta-feira.
Não era esperado, mas também não nos pegou totalmente desprevenidos. Ele tinha 76 anos e tinha sofrido dois derrames na última semana. Estava internado no hospital, mas seu quadro era estável.  Até que na quarta-feira ele não acordou; amanheceu morto.
Eu estava a caminho do trabalho quando minha mãe ligou me avisando e tive pouco tempo para sair do Rio, passar em Petrópolis e seguir em direção à cidade dos meus pais.
Foi estranho demais; não gosto de velórios.
Eu não era muito íntimo do meu avô, mas também não era distante. Tínhamos uma relação cordial, apesar da diferença de idades. Eu sou o neto mais velho dos meus avós paternos, mas apesar disso nunca fui o mais mimado, já que sempre fui muito independente e cabeça dura. Mas não pude conter as lágrimas ao me dar conta de que não veria mais meu avô sentado em frente ao portão da casa dele, jogando conversa fora, rindo com os amigos e me dizendo pra não estacionar o carro em frente da casa daquele vizinho insuportável.
Mas, ver minha avó sendo tão forte foi um consolo. Lembro-me dela me abraçando, chorando e dizendo que meu avô tinha muito orgulho do neto que tinha.
Dirigindo de volta para Petrópolis, depois do enterro, estava pensativo. Em como a vida é curta, em como tudo é passageiro. Hoje acordamos cheios de certezas que se vão numa velocidade impressionante. Pensava no meu avô, mas pensava em mim, em nós que aqui ficamos.
E, com tanta coisa ruim acontecendo, chorei feito criança enquanto dirigia.
Chorei por meu avô. Chorei por minha avó. Chorei por meu pai.
E chorei por mim, pelas minhas perdas. E prometi que por mais que tudo esteja doendo, não vou permitir que morra um pedaço de mim.
Afinal, a vida sempre segue seu curso. E não temos tempo para juntar os nosso pedaços.

Anúncios

24 Responses to Sobre a Nossa Finitude

  1. Pinguim disse:

    Caro Autor
    este ano de 2009 está a ser especialmente penoso para mim; estamos ainda a meio do ano e já contabilizo 4 perdas até agora, com relevo para a minha irmã que tinha voltado daí do Brasil, para relançar a sua vida sentimental e a quem foi diagnosticado um tumor no cérebro a 19 de Dezembro e faleceu a 16 de Fevereiro (2 meses), dois dias depois um tio, mas esse com os seus 85 anos não surpreendeu ninguém; em Março, de câncer nos pulmões um grande amigo aqui da blogosfera e a semana passada também de câncer no intestino, um amigo de infância, exactamente da minha idade.
    Questiono, como tu fazes agora a precariedade da vida e cada vez mais acho que devemos gozar o dia de hoje, porque o de amanhã não está garantido.
    sentidos pêsames, meu amigo.
    Abraço.

  2. Gisele disse:

    Ô, querido, sinto muito!

    É sempre um choque perceber que somos mortais, e que as pessoas que fazem parte da nossa história podem desaparecer de uma hora pra outra. Desaparecer apenas fisicamente, fique claro, porque todo mundo deixa uma marca na nossa alma.

    Beijão, e conte comigo. Nem que seja só pra jogar conversa fora!

  3. Fabiana disse:

    amigo meus olhos se ficaram cheios de lágrimas, porque sei o que está passando… e é duro quando todas essas perdas acontecem de uma vez.
    Ao mesmo tempo sinto orgulhosa de ver como vc está amadurecendo (quero ser assim quando eu crescer).
    O que dizer nesse momento? que estou aqui, que é só chamar que largo tudo e vou correndo fazer nada, chorar, rir junto com vc.
    SIMPLESMENTE PQ TE AMO DO JEITINHO QUE VC É.
    Conte comigo sempre e em qualquer circunstância.

  4. jarbas disse:

    que triste.
    não há palavras que diminua sua dor;
    o melhor agora é o silêncio

  5. Alex disse:

    Meus pêsames…

  6. Sinto por vc! Mas são coisas inevitáveis, bem que a gente queria ter o poder de não deixá-las acontecer…

    Um beijo e um abraço forte

  7. Lis disse:

    Meu querido e lindo Autor…
    Há tempo para tudo debaixo do céu…incluisive para chorar, sofrer, perder…E temos que passar por tudo isto…Então sinta tudo e pode ter certeza que logo,logo vai chegar o tempo de se alegrar,de abraçar,
    de amar de novo…Agora, são várias coisas acontecendo ao msm tempo e parece que o coração tá em carne viva, mas o seu coração é forte meu amigo e ele aguenta…Eu te falei q cda vez + te admiro e torno a dizer: VC É MUITO,MUITO ESPECIAL!!
    Bjussssss e te amo

  8. S.A.M disse:

    Querido, meus sentimentos!

    Acredito que apesar dessa finitude da vida, essas situações nos convidam a pensar como temos vivido e como temos aproveitado esse tempo tão precioso que temos.

    Como diria um pensador: “Muita gente existe, mas poucos vivem de fato”

    Acredito que nesse senso, devemos nos cobrar menos e nos dar – sempre – a chance da felicidade.

    Sejamos felizes que a vida apesar de curta, é fantástica!

    🙂

    P.S.: Nas minhas preces de hoje, eu incluo vc e sua familia!

  9. Tanta Coisa! disse:

    Meu amigo querido,
    A grande lição que aqueles que se foram nos deixam é esta: a brevidade da vida e sofrer isto noa ajuda a pensar sobre o que temos valorizado demais e o importante que temos negligenciado. Que desta dor surjam decisões, planos, vontades cheias de vida pra vc. Bj!

  10. Daniel disse:

    Não é fácil, mas faz parte da vida, sabemos que a morte é inevitável. Sempre. Resta, como você disse, continuar o curso.
    Você sabe que mesmo nosso contato real sendo tão pouco tenho você como um grande amigo. Te admiro muito rapaz. E já disse, qualquer coisa é só gritar que a gente faz a loka no Rio rssr.

    Deixo um texto que mexeu comigo do Caio F., por quem ando apaixonado rssr.

    Beijo menino.

    ***

    Somos todos imortais. Teoricamente imortais, claro. Hipocritamente imortais. Porque nunca consideramos a morte como uma possibilidade cotidiana, feito perder a hora no trabalho ou cortar-se fazendo a barba, por exemplo. Na nossa cabeça, a morte não acontece como pode acontecer de eu discar um número telefônico e, ao invés de alguém atender, dar sinal de ocupado. A morte, fantasticamente, deveria ser precedida de certo ‘clima’, certa ‘preparação’. Certa ‘grandeza’. Deve ser por isso que fico (ficamos todos, acho) tão abalado quando, sem nenhuma preparação, ela acontece de repente. E então o espanto e o desamparo, a incompreensão também, invadem a suposta ordem inabalável do arrumado (e por isso mesmo ‘eterno’) cotidiano. A morte de alguém conhecido e/ou amado estupra essa precária arrumação, essa falsa eternidade. A morte e o amor. Porque o amor, como a morte, também existe – e da mesma forma, dissimulada. Por trás, inaparente. Mas tão poderoso que, da mesma forma que a morte – pois o amor também é uma espécie de morte (a morte da solidão, a morte do ego trancado, indivisível, furiosa e egoisticamente incomunicável) – nos desarma. O acontecer do amor e da morte desmascaram nossa patética fragilidade.

    Caio Fernando Abreu

    Fonte http://lyani.wordpress.com/2009/05/26/a-morte-e-o-amor/

  11. DO disse:

    É sempre muito doloroso,Autor. E por mais que a gente se prepare,faz com que pensemos e repensemos a vida ,as atitudes…
    Meus sinceros sentimentos!!

  12. Fábio Nunes disse:

    Olá!
    Qaunto ao post anterior, realmente sempre tem alguns colegas e chefes que fazem a nossa diversão…e não duvido que a brincadeira que fizeram a respeito dele seja correta…imagina ele tentando ‘eliminar’ o mal do chefe de vcs….credo..só rindo.
    E quanto a esse post…só posso dizer que sinto muito, muito mesmo, e que concordo com vc quando diz que a visa não espera para juntarmos nossos cacos. É melhor vermos que isso é um ciclo e a morte faz parte, levar como fonte de força para nós mesmos, chorar a vontade, afinal por mais que sejamos fortes a perda dói, especialmente de alguém próximo e seguir em frente!

    Um abração Autor!
    Fábio Nunes.

  13. Gustavo disse:

    Hello Autor!

    Muito triste tudo isso, deixo aqui contigo minhas condolencias!
    E como vc mesmo disse é deixar a vida seguir o seu curso natural!

    Sei que somos apenas colegas blogayros, mas se precisar de alguma coisa, manda um oi!

    Bjunda!

  14. Mabe disse:

    Lindo, não tenho o que dizer…
    Mas pode contar comigo sempre.
    E como sempre, seus textos são lindos e sempr eme fazem pensar…
    Beijos

  15. K disse:

    Minha mãe diz sempre que não quer as lágrimas do depois, mas prefere os sorrisos do agora… Claro que é inevitável chorar, mas não se esqueça de que tudo que foi vivido fez a vida dele valer a pena, inclusive o vivido com vc. É a diferença que temos o poder de fazer… =)

  16. Mauri Boffil disse:

    (sem reação)
    Sinto muito pelo seu avô…
    Sou necrofobico… Fico sem reação nessas horas… Desculpe.

  17. Scorpio disse:

    Autor,

    venho lhe deixar aqui os meus pêsames, sinto muito pelo seu avô…

    Beijos e muita Força

  18. Syn disse:

    Nossa Autor, impossível não se emocionar e lamentar… meus sinceros pêsames. Às vezes um ente querido não precisa ser assim tão próximo para nos desestruturar com sua ausência, e então percebemos o quanto ele era próximo e o quando érmaos envolvidos com ele.

    Melhoras, além de mais e mais felicidade na sua vida!
    Abração Autor!!!!

    PS: tow de volta! ^^

  19. Paul disse:

    Nossa, perder alguém da família é sempre difícil, por mais idade e mais doente q esteja.
    O momento não está sendo muito bom pra vc, né?
    Força pra vc!

  20. Mr. T disse:

    Autor, lindo..

    Qta coisa hein ? Sinto muito…

    Estou aqui quando precisar de alguémpra juntar o quebra cabeça dos seeus pedacihos ta???

    Bjo, te adoro

  21. Luan disse:

    É Autor,

    A perda só serve pra gente valorizar a vida. E o carinho pelo seu avô só vai ficar mais intenso com o tempo e apesar de agora vc sentir medo por isso, vc vai ver que é a melhor coisa que pode te acontecer. 🙂

    Fica bem!

  22. É… Se há uma coisa nessa vida que temos total certeza é a morte! Não sabemos quando, mas sabemos que ela virá.
    Que bom que você boas lembranças do seu avô! Fica mais lhe dar com isso.
    Fica bem!

    Grande abraço

  23. Daniel Savio disse:

    Cara, desculpa pela demora, mas meus pêsames menino…

    Perder um parente sempre é triste, mesmo que não tenhamos muito contato.

    Fique com Deus, menino Autor.
    Um abraço.

  24. Tamara disse:

    chorei daqui a tua perda…
    nunca li nada tão lindo, sincero e tocante sobre a perda de alguém e de si mesmo…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: