Rescisão Contratual

contrato“Ninguém falou de amor
Rolou um clima
Mas não me leve a mal
Se eu me apaixonar no final
Não quero ver quem tem razão
Sou movida à paixão
Roupas jogadas pelo chão
Sexo, amor, traição…”

Sexo, Amor e Traição
(Luciana Mello)


Relacionamentos são contratos. Fato.
Sejam eles mais ou menos flexíveis, somos nós quem ditamos as regras a que nos predispomos seguir.
E quando digo relacionamento, estou me referindo a todos os tipos: amorosos, familiares, de amizade.
Nesse contexto, o que seria uma traição?
A quebra das regras contratuais, sejam elas explícitas ou implícitas.
Dar em cima do namorado do amigo/a para mim é trair a amizade; beijar outra pessoa, sendo você comprometido e sem que essa pessoa saiba, pra mim é trair o relacionamento; mentir para o pai/mãe/irmão é trair a confiança da relação familiar.
Entretanto, não há como não admitir: a palavra traição quase sempre nos remeta aos relacionamentos amorosos e suas complicações.
Já traí e já fui traído. E sofri nas duas situações. Dois lados de uma mesma moeda?
Todavia, acredito que existam casos e casos. Fora os acasos.
O ser humano é carente por natureza e, se seu relacionamento não vai bem, pode acabar cometendo uma traição amorosa.
Imaginem duas situações distintas:

1º Um casal que não tem diálogo, que não vivem bem, mas que ainda pensam amar um ao outro. Surge uma terceira pessoa, conversas, atenção, carinho e acontece uma traição.
2º Um casal aparentemente feliz, onde uma das partes mantém outros relacionamentos escondidos, de forma sistemática, enganando a outra parte.

Julgar ambas as situações com a mesma severidade? Ou melhor: julgar as situações de qualquer jeito? Quem nos fez juízes da vida alheia? Quem nos deu esse direito?
De todo o caso, opinião muito particular, acredito que o diálogo seja sempre a melhor alternativa. Pois se uma relação não está boa, sem diálogo vai apenas piorar. Com diálogo, podemos tentar achar os campos minados e consertar.
Mas, sinceramente? Acho que mais do que fidelidade, o que conta mesmo é a lealdade.
Lealdade a si mesmo e ao outro. Aos nossos e aos sentimentos alheios.
Pois, como disse, relacionamentos são contratos.
E cada um sabe das suas próprias regras e se deve ou não assinar embaixo do que foi proposto.

Texto originalmente publicado no Mentes Discrepantes, em 15/02/2009, cujo tema da semana era Traição.
O Mentes Discrepantes é um blog escrito por quatro pessoas completamente diferentes entre si que a cada semana falam sobre um assunto específico, escolhido pelos leitores do blog através de uma enquete. Textos inéditos sempre aos domingos e quartas.

Anúncios

11 Responses to Rescisão Contratual

  1. J.M. disse:

    Muito interessante o post. Traição realmente é um tema muito controverso, cheio de minas. E o diálogo é de fundamentam importancia num relacionamento. Muito bom mesmo. Abraço.

  2. DO disse:

    Já fui muito radical neste assunto. Mas hj a experiencia mostrou que, pra cada relação,existem regras diferentes.Se ambos estão de acordo,então não problema. Eles só vêem qdo,ainda assim,algo foge do “combinado”.
    Aí eu acho sim,uma puta sacanagem.

    Abraços!!

  3. Pinguim disse:

    A fidelidade não está no meio das pernas, mas sim na cabeça e no coração. Isto dito assim, parece ser um lema meu, o que não está correcto, pois sou por natureza monogâmico; admito, com uma frequência rara, já ter traído sexualmente, mas nunca deixei de ser fiel. Da mesma forma encaro a situação da pessoa que amo.
    Abraço.

  4. Daniel Savio disse:

    E sobre aquele casal amigo seu?

    Fique com Deus, menino Autor.
    Um abraço.

  5. Foxx disse:

    te devolvo outra pergunta:

    cabe a gente julgar?

  6. Serginho Tavares disse:

    sendo um contrato quando uma das partes o quebra se quebra a confiança

  7. Shi disse:

    Bom, uma criatura só trai a minha confiança uma vez: depois de quebrada, raramente eu consigo confiar de novo… Enfim, né? Mas nem quero pensar muito nisso, pq é quase certo que eu vou achar, nem que seja uma mísera vez, uma ocasião em que EU tenha quebrado a confiança que depositaram em mim, e lidar com isso é ainda pior! Queria ser uma santa, pra saber perdoar os outros e a mim mesma… rs.
    Bjo, meu lindo!
    PS.: quase xixo de rir com o conto erótico ali embaixo – cadê o resto??? 😀

  8. Mr. T disse:

    Já conversamos bastante sobre isso né? Hehehe… Acho que erros todos cometem, e quem nunca cometeu que atire a primeira pedra.

    Meu conceito de traição se modificou muito com o tempo… Experiencias nos fazem ver que nem tudo é cor de rosa no mundinho da Hello Kitty…

  9. Jarbas disse:

    sou totalmente antitraição.
    solteiro sou de todos,mas quando estou com alguém sou monogâmico.

    não entendo traição, partido o pressuposto que ninguém fica com alguém, por pressão ou o que quer que seja. se tá com a pessoa é porque gosta, se não, sai fora, é muito mais bonito.

  10. K disse:

    como todo contrato, há cláusulas e cláusulas
    é difícil definir o certo e errado sem saber o que diz o contrato de cada casal…

  11. Du disse:

    .em traições, cada caso é um caso. e apesar de todos ao redor possuírem opiniões, somente os realmente envolvidos no “contrato” podem discutir cláusulas, quebras e soluções.

    .mas independente de que, onde e porquês, eu tenho certa intolerância a traição. e sei que mais cedo ou mais tarde, minha posição encontrará um dilema que o sacuda e questione. espero amadurecer isso tudo. para melhor, espero.

    .abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: