O Seminarista

Não sei precisar o ano ou qual a minha idade na época.
Sei que ainda estava na faculdade e era uma época em que me divertia nas salas de bate papo da vida.
Morava com meus pais, cidade pequena e a sala de bate papo da cidade vizinha (com seus cento e poucos mil habitantes) era a que ‘bombava’ para nós, do interior.
Aquele bate papo era o ponto de encontro do pessoal da faculdade, dos adolescentes e, claro, dos gays enrustidos da cidade do interior – como eu!
Num belo dia estava naquela sala e ele apareceu. Não lembro se foi direto ou se nos perdemos em trivialidades como o tempo e as pessoas da região; só sei que começamos a conversar. Mas, claro, o interesse de ambos era sexo.
Naquela época eu tinha um msn fake e era pra lá que direcionava as fast-foda (que horrível!). Se valesse a pena e eu estivesse disposto, passava depois para o msn oficial de menino família (o único que uso hoje). E foi no msn fake que marcamos de nos encontrar.
Ele havia mentido bastante. No encontro descobri que ele morava num bairro ao lado do meu e que era mais novo do que havia dito: estava prestando vestibular, devia ter seus 19, 20 anos.
Mas, vá lá, era bonitinho. Moreno, olhos verdes, cabelos castanhos e lisos e um corpo interessante. Conversando no meu carro ele, apesar da timidez, colocou sua mão em minha coxa e ficou me acariciando um bom tempo, até que foi subindo e subindo até chegar no meu pau.
Eu, que sempre fui cagão, disse que ali não era lugar e ele não pestanejou:

-Vamos pro motel!

Fomos.
O menino sabia o que tava fazendo e, pelado, era ainda mais bonito: bunda durinha e arrebitada, corpo legal, sem ser sarado. E chupava com maestria e vontade (o que, particularmente, eu adoro).
Fudemos tanto naquele dia que eu cheguei em casa com o dia quase amanhecendo.
Como o achei gente boa (e não era uma foda de se jogar fora) o passei pro msn oficial e mantivemos contato.
Mas era um tempo atribulado de final de período na faculdade: provas e trabalhos diversos, além do meu emprego, que me consumia bastante tempo. Ou seja, apesar dos repetidos convites dele, não repetimos a dose.
Até que um dia ele sumiu. E nem me dei conta disso.
Só fui perceber um ano depois quando ele me procurou novamente e me lembrei do menino de olho verde que mandava bem no sexo (que vergonha, nem do nome do garoto eu me lembrava).
Ele então me contou o motivo de ter sumido: tinha passado no vestibular pra outra cidade, mas que não havia me esquecido.
Não deu outra, transamos novamente.
Dessa vez o menino estava bem mais solto e me pareceu que havia treinado bastante. Fez a linha Leila Lopes e se mostrou uma cachorra na cama, ainda mais que da primeira vez.
Nada, entretanto, que me deixasse apaixonado. Ele era bom, mas eu vivia uma fase em que nem cogitava relacionamento com outro homem.
Só que esqueci de falar isso pra ele e ele, que começou a me presentear. Primeiro foi um livro, depois um perfume (Fala sério! Quem dá perfume pra uma pessoa que nem conhece direito? E logo pra mim, que sou todo alérgico a algumas coisas).
Comecei a ficar preocupado até o dia em que ele disse que precisava me encontrar para me revelar um segredo.
Já fiquei paranóico, né?
Mesmo tendo transado de camisinha (sempre!), já imaginei que ele ia dizer que tinha alguma doença contagiosa.
Na hora e local combinados ele chegou, dessa vez extremamente sem graça. Eu procurei descontrair, mas estava falando nada com nada e ele resolveu começar.

-Eu não contava com isso, aliás, nunca achei que precisasse te contar isso, mas preciso… Está me matando tudo que estou sentindo. –ele começou a enrolar.
-Tá, diga logo, porque eu estou ficando nervoso já. –encorajei.
-Lembra que eu te disse que passei pra uma faculdade fora daqui e que estou estudando? Pois então. Estou fazendo Filosofia. E depois tenho de fazer Teologia. Sou seminarista! –ele falou de uma vez só.

Sabe quando você não tem o que falar?
Me deu uma vontade maluca de rir.
Nunca fui católico e de hipocrisia eu entendia bem.
Mas até pra mim, ficar com um seminarista era demais.
O problema é que eu não conseguia falar nada. Só me passavam mil perguntas na cabeça e foi aí que comecei a bombardeá-lo.

-Me conta tudo! Tem putaria no seminário? Os padres pegam vocês? Os seminaristas se pegam?

Lembrando agora, vejo o quão escroto fui com o garoto, mas eu realmente não sabia com agir.
Acabou que transamos de novo naquele dia e depois nos afastamos.
Ele voltou pro seminário onde ficava direto, por 5 meses. Só visitava a família nas férias e era nesse período que, quando possível, nos víamos.
Com o tempo fui criando uma grande afeição por ele. É uma pessoa com quem se pode contar, bom pra conversar e muito educado.
Pra fechar o pacote, trabalho e moro atualmente na mesma cidade onde fica o seminário dele.
Eventualmente nos encontramos para um café e um papo casual.
Adoro quando ele vem me visitar aqui no trabalho e os comentários do pessoal que trabalha comigo sobre ele. No mínimo acham que minha alma não tem mais salvação, pois sempre dizem:

-Você precisa de mais amigos como esse M. É um menino muito bom!

Bom?
Ô, como é bom.
Ainda me lembro, apesar de hoje sermos apenas bons amigos.

 

Anúncios

16 Responses to O Seminarista

  1. marco disse:

    Veja como você é um cara religioso, até para relacionamentos, escolhe alguém iluminado 🙂 Antes seminarista que psicopata.

    Olha escrever todos os dias não é tarefa fácil, mas vou procurar atualizar mais o Errantes. Abraços!

  2. DO disse:

    Fico impressionado com a quantidade de “companheiros” no mundo das almas.Rssss
    Vira e mexe acabo conhecendo um. Sem falar no tal senhor padre,ops,monsenhor, amigo da minha familia,com quem tive que conversar,anos atras,após contar tudo pra minha mama.
    E não é que aquele senhor idoso,distinto…tambem era!!

    Mas o mais importante,Autor,é que fica uma amizade muito legal entre vcs. Algo dificil hj em dia.
    Abração!

  3. eu disse:

    um seminarista tbm?????????????????????????
    e nunca me contou??????????????????????????
    achava que a homossexualidade na igreja fosse uma consequência do meio, afinal ninguém é de pedra e eles ficam lá…juntos o tempo todo…
    mas pelo visto é o contrário, o povo gay é que ama a igreja! hahaha

    PS: não podia perder a piada, rs.

  4. André disse:

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Rolei de rir….isso pq tu ja tinha me contato uma parte…..kkkkkkk

    O sr é bem safado mesmo…..
    Mas mesmo assim ainda te doro….

    Bjs meu amigo.

  5. misterangel disse:

    Bem, como sou protestante, pegar seminarista não póooooode!!!
    mas já peguei pastor serve???? hahahahaah

    sempre chocada com sua vida de promiscuosidade e perversão!!!

    with love

    mister angel.

  6. Tathiana disse:

    Mas q babado, hein! rs.
    Tu né mole, não, moço! rs.
    Bom q vcs ficaram amigos…
    Bjs.

  7. Leonardo Líf disse:

    Wowowow….
    Assim como você no dia da revelação dele, estou meio que sem palavras.

    Imagino como deve ser mesmo a vida desses seminaristas. Não suponho que haja tanto frenesi assim, mas, certamente, um rala e rola de vez em quando deve aparecer…

    Mas o melhor de tudo isso é mesmo o fato de terem ficado amigos depois de todo o ocorrido!
    😀

  8. Edu disse:

    Eita que eu quero o nome e endereço do senhor idoso e distinto do DO!!!

  9. Fernando disse:

    Sabe do que eu lembrei? Na 7ª série o padre diretor do colégio em que eu estudava me tirava da sala de aula e me colocava numa sala no meio de outros padres. Lá, ele ficava insistindo para eu entrar no seminário. Me entregou vários folhetos, me falou dos benefícios, falou que ajudaria a bancar tudo…

    Coisa estranha… Agora, lendo o seu post eu consigo enxergar esse ato dele com um tom tão malicioso. Medo, muito medo!

  10. K disse:

    =O
    Fetiche invadindo o blog!!
    Namorado não vai gostar de ler, hein! rs

  11. Marcella Sing disse:

    Nossa… podia imaginar tudo. Que era casado, que não era gay, que te amava, que descobriu que era seu irmão… Mas o carinha foi ser seminarista??? Sei não, ein….

    Bjosssssss

  12. postei voce em meu blog hj
    e sobre a hist… hummmmmmmm
    achei maravilhosa como todas as outras mas o melhor mesmo é que continuam amigos
    BEIJOS meu amigo
    grande amigo que me emociono em ter como amigo sempre

  13. Uillow disse:

    Rapaz, já catei até PADRE pra vc ter noção! HAUHAUAHUH! E meu último namorado é ex-seminarista, e tá namorando um agora. Tanta coisa, tanta coisa…

    Abração!

  14. rael disse:

    Nossa eu já fui seminarista, é uma putaria só os seminários
    o clero e tudo mais…. só dá gay, quem não é sai….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: